Submissões

lace front wigs   ,
lace front wigs   ,
human hair extensions   ,
human hair wigs   ,
lace wigs   ,
human hair wigs   ,
human hair wigs   ,
lace front wigs   ,
human hair weave   ,
hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair wigs   ,
brazilian hair   ,
Lace Front Wigs   ,
human hair extensions   ,
hair-extensions-don    |
brazilian-hair    |
brazilian-hair-diamon    |
brazilian-hair-on    |
human-hair-wigs    |
lacewigsbuy-human-hair-wigs    |
divatress-wigs-human-hair    |
bestwigoutlet-wigs-human-hair    |
lace wigs   ,
human hair wigs   ,
human hair wigs   ,
lace front wigs   ,
human hair weave   ,
hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair wigs   ,
brazilian hair   ,
Lace Front Wigs   ,
human hair extensions   ,
lace front wigs    /
lace-front-wigs    /
lace-front-wigs-1    /
lace-front-wigs-human-hair    |
aprillacewigs-lace-front-wigs    |
omywigs    |
hair extensions    |
hair extensions    |
hair extensions    |
lace front wigs   ,
human hair extensions   ,
human hair wigs   ,
lace front wigs    /
lace-front-wigs    /
lace-front-wigs-1    /
lace-front-wigs-2    /
Lace Wigs   ,
Human Hair Wigs   ,
Human Hair Full Lace Wigs   ,
african american wigs   ,
human hair wigs   ,
human hair wigs   ,
lace front wigs   ,
human hair weave   ,
human hair wigs   ,
hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair extensions   ,
human hair wigs   ,
brazilian hair   ,
human hair wigs   ,
Lace Front Wigs   ,
human-hair-extensions-soho    |
clip in extensions
hair extentions
luxury for princess

Como submeter seu artigo para a Revista

Publicada há mais de quarenta anos pelo Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) a revista Novos Estudos Cebrap é um periódico multidisciplinar (em sistema de duplo-cego de avaliação por pares) de ciências humanas, direito, literatura e artes. Quadrimestral, traz artigos de autores nacionais e estrangeiros.

Consolidada no panorama intelectual brasileiro, a revista tem como objetivo apresentar análises aprofundadas de temas das ciências humanas e acompanhar o debate de ideias no país, contribuindo para o adensamento das discussões num amplo leque de temas, das artes plásticas às políticas públicas.

Critérios de publicação e avaliação
A publicação dos artigos responde exclusivamente a critérios de mérito. O processo de avaliação de mérito é idêntico para todos os artigos ―inclusive aqueles que por ventura vierem a ser encomendados pela Comissão Editorial. Após submissão, os artigos são submetidos a parecer de pertinência (desk review) a respeito de sua adequação ao objetivo e política editorial da revista. Em até 30 dias, contando a partir do dia da submissão, os autores receberão notícia sobre o resultado dessa primeira etapa.

A revista funciona sob o princípio do duplo anonimato: os artigos aprovados na primeira etapa serão submetidos a dois pareceristas ad hoc e, em caso de pareceres contraditórios, uma terceira avaliação será requerida. Sendo identificado conflito de interesse da parte dos pareceristas, o texto será reencaminhado para avaliação. Os artigos serão avaliados de acordo com os critérios de qualidade e rigor dos argumentos, validade dos dados, oportunidade e relevância para sua área de pesquisa, atualidade e adequação das referências.

Há quatro resultados possíveis da segunda etapa: aprovado para publicação sem modificações, aprovado para publicação condicionada a modificações, revisar e ressubmeter e recusado. O terceiro resultado implica que a Revista não assume compromisso de publicação se houver ressubmissão. A Revista não aceitará ressubmissões se os dois pareceristas indicarem “revisar e ressubmeter” ou se um dos pareceristas recusar o artigo e a comissão editorial julgar o parecer adequado.

A revista encaminhará, em prazo estimado de aproximadamente (6) seis meses, uma carta de decisão sobre o artigo recebido, anexando, de acordo com cada caso, os devidos pareceres.

Artigos com um parecer favorável e outro de “revisar e ressubmeter” deverão ser enviados em até três meses após recepção do parecer. Extinto esse prazo, os artigos serão retirados da pauta da Comissão Editorial. Artigos com parecer favorável à publicação mediante correções deverão ser revisados e ressubmetidos em até trinta dias. A Comissão Editorial se reserva o direito de sugerir novas modificações de forma ou de caráter pontual quanto ao conteúdo ou à forma, de modo a adequar o artigo ao perfil editorial ou gráfico da Revista.

A Revista não acolhe traduções de artigos não inéditos.

Reciprocidade
Entende-se que a submissão de artigos a serem avaliados sob o sistema de parecer duplo cego por partes implica o compromisso do(a) autor(a) de responder da forma mais satisfatoriamente possível às observações dos avaliadores. A Revista aprecia o esforço da comunidade acadêmica de contribuir com seu trabalho para melhorar a qualidade da produção científica das ciências sociais no Brasil, por isso, não submeterá a parecer manuscritos que tenham recebido parecer negativo em outra revista sem que os autores tenham realizado o esforço de responder aos reparos levantados pelos pareceres. Pelo mesmo motivo, a Revista se reserva o direito de recusar artigos cuja reformulação desconsidere as sugestões dos pareceristas sem justificação razoável.

Autores que submetem artigos à Revista assumem o compromisso de emitir pareceres. A Comissão Editorial se reserva o direito de não submeter à segunda etapa de avaliação (duplo parecer cego por pares) artigos cujos autores reiteradamente declinam a emissão de pareceres quando convidados pela Revista.

Boas práticas científicas
O periódico segue as diretrizes dos Códigos de Ética do Committee on Publication Ethics (COPE) (http://www.publicationethics.org/), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (http:// www.cnpq.br/web/guest/diretrizes) e da Fundação de Amparo  à Pesquisa do Estado de São  Paulo(http://www.fapesp.br/boaspraticas/).

Forma e preparação de manuscritos

Aceitamos como contribuição artigos inéditos em português e inglês.

O texto deverá ser preparado num mesmo arquivo na seguinte sequência: artigo de até 50 mil caracteres com espaços (incluindo referências bibliográficas e notas); nota biográfica (de até 40 palavras) incluindo formação, instituição, cargo, áreas de  interesse, principais publicações   e e-mail; notas substantivas (de fim de texto) em algarismos arábicos; referências bibliográficas; título do artigo, resumo (entre 350 e  450 caracteres com espaços) acompanhado de até cinco palavras-chave, em português e  inglês;  e, quando for o  caso, os créditos das imagens   utilizadas.

Desenhos, fotografias, gráficos, mapas, quadros e tabelas devem conter título e fonte, e estar numerados. Deverão, ainda, estar em condições adequadas à reprodução e impressão fidedignas e de qualidade P&B. Além   de constarem no corpo do artigo, as imagens deverão ser encaminhadas em arquivo separado do texto, em formato .tiff (de preferência) ou .jpg e em alta resolução (300 dpi), medindo no mínimo 17 cm (3.000 pixels) pelo lado maior. No caso de imagens que exijam autorização para reprodução, a obtenção da mesma caberá ao autor.

Os textos deverão ser escritos em fonte Times New Roman, tamanho 12, recuo padrão de início de parágrafo, alinhamento justificado, espaçamento duplo e em páginas de tamanho A 4 (210×297 cm), numa única face.

As notas devem vir ao final do texto, não podendo consistir em simples referências bibliográficas. Estas devem aparecer no corpo do texto com  o  seguinte formato: (sobrenome do autor, ano de publicação), conforme o  exemplo: (Tilly,  1996)

No caso de citações, quando a transcrição ultrapassar cinco linhas deverá ser centralizada em margens menores do que as do corpo do artigo; quando menor do que cinco linhas, deverá ser feita no próprio corpo do texto entre aspas. Em ambos os casos a referência seguirá o formato: (sobrenome do autor, ano de publicação: páginas), conforme os exemplos: (Tilly, 1996: 105) (Tilly, 1996: 105-106)

 As referências bibliográficas em ordem alfabética de sobrenome devem  vir após as notas, seguindo o formato que aparece nos seguintes  exemplos (os demais elementos complementares são de uso   facultativo):

  1. Livro

Pinto, Luis de Aguiar Costa. (1949). Lutas de famílias no Brasil: introdução ao  seu estudo.  São  Paulo:  Companhia  Editora Nacional.

  1. Livro de dois autores

Cardoso, Fernando Henrique & Ianni, Octávio. (1960). Cor e mobilidade social em Florianópolis: aspectos das relações entre negros e brancos numa

comunidade do Brasil meridional. São  Paulo: Companhia Editora   Nacional.

  1. Livro de vários autores

Wagley,  Charles  et  al.  (1952).  Race and class in rural Brazil.  Paris: Unesco.

  1. Capítulo de livro

Fernandes, Florestan. (2008). Os movimentos sociais no “meio negro”. In: A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Globo, p. 7-134 (vol. 2).

  1. Coletânea

Botelho, André & Schwarcz, Lilia Moritz (orgs.). (2009). Um enigma chamado Brasil. São Paulo: Companhia das Letras.

  1. Artigo em coletânea organizada pelo mesmo  autor

Gonçalves, José Reginaldo Santos. (2007). Teorias antropológicas e objetos materiais. In: Antropologia dos objetos: coleções, museus e patrimônios. Rio de Janeiro: IPHAN, p. 13-42.

  1. Artigo em  coletânea  organizada  pelo  autor  em  conjunto  com  outro  

Villas Bôas, Glaucia. (2008). O insolidarismo revisitado em O problema do sindicato único no Brasil. In: Villas Bôas, Glaucia; Pessanha, Elina Gonçalves da Fonte & Morel, Regina Lúcia de Evaristo de Moraes Filho, um intelectual humanista. Rio de Janeiro: Topbooks, p. 61-84.

  1. Artigo em coletânea organizada por outro  autor

Alexander, Jeffrey. (1999). A importância dos clássicos. In: Giddens, Anthony & Jonathan Turner (orgs.). Teoria social hoje. São Paulo: Ed. Unesp,  p.  23-89.

  1. Artigo em Periódico

Lévi-Strauss, Claude. (1988). Exode sur exode. L’Homme, XXVIII/2–3, p. 13-23.

  1. Tese Acadêmica

Veiga Junior, Maurício Hoelz. (2010). Homens livres, mundo privado: violência e pessoalização numa sequência sociológica. Dissertação de Mestrado.  PPGSA/Universidade  Federal  do   Rio  de   Janeiro.

  1. Segunda ocorrência seguida do mesmo  autor

Luhmann, Niklas. (2010). Introdução à teoria dos sistemas. Petrópolis: Vozes.

Luhmann, Niklas. (1991). O amor como paixão. Lisboa/Rio de Janeiro: Difel/Bertrand  Brasil.

  1. Consultas on-line

Sallum Jr., Brasílio & Casarões, Guilherme. (2011). O impeachment de Collor: literatura e processo. Disponível em <http://www.acessa.com/gr amsci/?page=visualizar&id=1374>. Acesso  em  9  jun. 2011.

Envio de contribuições

Novos Estudos Cebrap não assume responsabilidade por conceitos emitidos  pelos  autores.

Os trabalhos enviados para publicação devem ser originais e inéditos, não sendo permitida sua apresentação simultânea em outro periódico.

A revista não cobra taxa de processamento e submissão dos artigos.

Possíveis modificações de estrutura ou de conteúdo, por parte da Editoria, serão previamente acordadas com os autores, e não serão admitidas após  os  trabalhos serem  entregues para composição.

Contribuições deverão ser submetidas eletronicamente através do nosso sistema acessando o  link:

http://www.novosestudos.com.br/ojs/

Os autores devem realizar cadastro a fim de iniciar o processo de cinco passos para submissão de  manuscritos, seguindo as instruções aos autores.

O  envio de textos implica a cessão de direitos autorais e de publicação à revista. Com a publicação do artigo, o autor receberá um exemplar da revista.

Novos Estudos Cebrap tem acesso aberto e não cobra taxas para acesso aos artigos.  Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

A Novos Estudos utiliza a licença CC-BY, da Creative Commons. Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original. Para saber mais sobre a licença, clique aqui.

 

Para mais informações, consultar os editores através do e-mail novosestudos@cebrap.org.br